Neymar é 100% Jesus na faixa, mas a boca é mais suja que Judas no Getsêmani

Por Sergio Viula

 

De acordo com o site Terra, o Comite Olímpico Internacional (COI) fará reclamação por faixa religiosa de Neymar no pódio.

E por que isso?

Porque manifestações religiosas no pódio não são permitidas pelo Comitê Olímpico Internacional. E é muito bom que seja assim, já que religião tem sido um dos maiores motivos para guerras e outros desentendimentos no mundo, enquanto as Olimpíadas pairam acima delas, tentando promover solidariedade entre os povos, sejam quais forem suas convicções religiosas.

O Terra diz o seguinte:
“Na festa após a conquista da inédita e tão esperada medalha de ouro pelo futebol brasileiro, uma coisa chamou mais a atenção de dirigentes do Comitê Olímpico Internacional (COI) do que a felicidade da torcida e dos jogadores da Seleção: a faixa religiosa que Neymar ostentava na cabeça durante a cerimônia de premiação.

O adereço com os dizeres “100% Jesus” fere o regulamento do COI, que não permite manifestações de cunho comercial, político ou religioso nos pódios olímpicos. Em virtude disso, o Comitê prometeu enviar uma carta de reclamação à missão brasileira, segundo o Estadão . Apesar disso, nenhuma punição está prevista tanto para o atleta como para a delegação nacional.”

neymar faixa 100% Jesus
Neymar com a faixa no pódio olímpico após a conquista do ouro inédito – Foto: EFE.

Apesar de alguns tentarem minimizar a situação, dizendo que o COI fez vista grossa para as mensagens políticas, referindo -se, é claro, ao grito repetidamente ouvido nos estádios de “Fora Temer!”, uma coisa é o torcedor fazer isso, outra coisa é isso vindo de um atleta profissional, comprometido com as regras do COI, da seleção pela qual joga, dos patrocinadores, entre outros.

Mas, ao mesmo tempo que Neymar diz ser 100% Jesus, sua boca é mais suja do que Judas no Getsêmani. Lembra que ele teria beijado Jesus para sinalizar aos romanos quem era o homem que eles deveriam prender? Pois é, jogo sujo mesmo. Agora, boca suja é a do crente Neymar, com faixa e tudo. Veja Neymar xingando um torcedor depois de ganhar a medalha na Rio 2016.

Após receber a medalha, o atleta se dirigiu a um torcedor na arquibancada, visivelmente irritado. O atleta xinga o torcedor: “Não consegue é o caralho, vai tomar no teu cu”, enquanto o torcedor retruca “não consegue!”. Depois Neymar grita, “tem que respeitar, que aqui é Brasil!”. Veja que ele conseguiu colocar o caralho e o cu na boca ao mesmo tempo com a faixa 100% Jesus na cabeça. Nada mais sublime, não é mesmo? SQN.

Mais aqui:http://muitofranca.com.br/neymar-xinga-torcedor-apos-medalha-de-ouro-assista-o-video/): http://www.90min.com/pt-BR/posts/3655770-neymar-xinga-torcedores-no-maracana-apos-conquista-do-ouro.

Na verdade, o COI devia puni-lo pelas duas coisas. Dois comportamentos inaceitáveis, cada um por uma razão diferente.

Mas não foi a primeira vez que Neymar xinga torcedores ou jogadores, mesmo dizendo-se 100% Jesus.

Pior do que isso, mas sem conexão com as Olimpíadas, é claro, foi a atitude do jogador em 2010, quando ele se recusou a entrar numa casa de caridade, com direção espírita, alegando que era evangélico. Junto com ele, Robinho, Léo, Marquinhos, André, Ganso e Roberto Brum fizeram o mesmo. Acontece que a casa, chamada Lar Mensageiros da Luz, abriga crianças, adolescentes e adultos portadores de paralisia cerebral e demais limitações, e a ação de caridade do Santos consistia na doação de 600 ovos de Páscoa para os 34 moradores do Lar Mensageiros da Luz. Nada mais do que isso.

Enquanto isso, ateus fazem caridade sem esperar ou temer qualquer divindade, espírito, anjo, demônio ou coisa parecida. Sem pensarem em céu, inferno, carma, reencarnação, ressurreição ou qualquer invencionice humana para tentar dar sentido à vida que vá além dela mesma. debi & lóide.png

Vários sites e jornais falaram sobre uma pesquisa feita recentemente que acabou por descobrir que ateus tendem a ser mais solidários do que os religiosos. O jornal El País deu o seguinte título à matéria que abordava esse assunto: “O bom samaritano é ateu.
Pessoas religiosas se mostram menos altruístas com desconhecidos, segundo estudos.” Leia a matéria AQUI e não seja um 100% idiota como Neymar, pelo amor de Zeus! kkkkkkk

Você não precisa de religião para ser bom, mas alguns precisam mesmo ser bastante idiotas para pensar que estão fazendo algo extraordinário dizendo que acreditam num deus ou outro, seja ele qual for.

E não precisa ir longe para saber disso. Quer ver por quê? Confira a página “MAIS UM PASTOR NA CADEIA” no Facebook.

Claro que eles não são os únicos líderes religiosos que pegam cadeia por aí. Agora, é muito pastor preso, minha gente! Até esse momento, agosto de 2016, mais de 60 pastores foram presos pelos mais diversos crimes no Brasil: estelionato, assassinato, estupro, assalto, etc. E todos eles dizem que são 100% Jesus.

Alguém pode alegar que qualquer um pode fazer esse tipo de declaração. Então, por que levar quem quer que seja a sério ao dizer isso? Ah, sabe de uma coisa? Só vou dizer uma vez: Vai tomar… vergonha, Neymar.

Anúncios

Os quatro cavaleiros do ateísmo

cavaleiros do ateísmo

Da esquerda para a direita:

Christopher Hitchens, Daniel Dennett, Richard Dawkins e Sam Harris.

 

Published by Assis Junior on Jul 15, 2012

Richard Dawkins, Daniel Dennett, Sam Harris e Christopher Hitchens – Juntos sem moderação, os quatro gigantes do Ateísmo e do Pensamento Livre conversam sobre Ciências, Deus, Religião, etc.

Gravado em 30 de setembro de 2007. Todos os quatro autores têm recebido recentemente uma grande quantidade de atenção da mídia para seus escritos contra a religião – algumas positivas e outras negativas. Nessa conversa eles contam histórias sobre a reação do público aos seus livros, os sucessos inesperados, críticas e deturpações comuns. Eles discutem as perguntas difíceis sobre a religião que enfrentam o mundo hoje, e propõem novas estratégias para o futuro.

A afinidade entre eles é obvia, mas é curioso notar, também, as diferentes visões e posturas em relação aos temas discutidos. Dawkins e seu antiteísmo militante; Hitchens e sua análise política cortante; Harris e sua proposta de uma espiritualidade ateísta e Dennet, com seu temperamento conciliador. O vídeo é relativamente longo, praticamente duas horas de duração. Mas se o leitor deseja conhecer os ícones do ateísmo moderno para além de suas obras, assistí-lo é indispensável.

Fonte:Assis Junior

************************

sergio aterro
Sergio Viula

Considero esse vídeo um excelente trabalho de reflexão sobre diversas posturas ateístas e as reações que muitos religiosos demonstram diante da simples declaração de que não cremos num deus ou que não há um deus ou que não existe vida após a morte diante da mais completa falta de evidências sobre todas essas coisas.

Só o fato de ter esse vídeo já legendado no YouTube, sendo ele um programa de quase 2 horas, deveria ser motivo suficiente para que todos os interessados nesse tema lhe tributassem alguma atenção.

Certamente, será mais interessante do que a maioria dos programas dominicais na TV aberta ou fechada.

Boa semana a todos e todas,

Sergio Viula

Seis países com o maior número de ateus

Por Sergio Viula

O jornal britânico The Independent publicou uma curiosa matéria sobre os seis países com maior número de ateus no mundo. A publicação é recente, março de 2016. Decidi traduzi-la com leves adaptações para o deleite dos leitores do www.viulaateu.wordpress.com.

ateus no mundo gráfico

Pela primeira vez, a Noruega agora tem mais pessoas que não acreditam em Deus do que pessoas que acreditam – com 39 por cento de ateus versus 37 por cento de crentes. Ressalto que a palavra ‘crentes’ aqui será utilizada em referência a qualquer pessoa que tenha crença religiosa, não necessariamente cristãos.

Nos EUA, uma nação cuja nota de dólar declara “Em Deus, Confiamos”, a crença na deidade cristã também está em baixa quando comparada a anos anteriores.

A pesquisa revela que, entre os americanos, os ateus quase dobraram de 1980 para 2014 – e que um número cinco vezes maior de pessoas disseram que nunca oraram.

Agora, um mapa revela os graus de religiosidade ao redor do mundo considerando os países onde mais respondentes disseram que são “ateus convictos”.

Todavia, apesar da tendência para que cada vez menos pessoas acreditem em Deus ao redor do mundo, parece que somente alguns países têm mais de 20 por cento de seus cidadãos rejeitando inteiramente as noções de divindade.

Aqui estão seis dos países mais ateus do mundo, sem incluir a Noruega:

1. China

china

A China tem de longe o maior percentual de ateus convictos dentre todos os países do mundo, mas não chega a metade de sua população.

De acordo com o instituto Win/Gallup, entre 40 e 49,9 por cento dos chineses se identificam como inclinados ao agnosticismo quando se trata de acreditar numa divindade superior.

Uma das cosmovisões filosóficas mais antigas do país, o Confucionismo, também é notavelmente desprovido de crença numa divindade sobrenatural.

2. Japão

japão

Vizinho à China, outras nações orientais abrigam pessoas comprometidas com uma visão de mundo que não inclui Deus.

Entre 30 e 39 por cento das pessoas nas ilhas japonesas dizem ser “ateus convictos”.

A religião no Japão tem sido historicamente centrada no Xintoísmo, que é baseado num ritual e numa mitologia voltadas ao remoto passado do Japão, mais do que baseado num Deus que tudo vê.

Todavia, o xintoísmo permanece espiritual em sua natureza e não poderia ser chamado de ateu. Ainda assim, o  xintoísmo, assim como o budismo no Japão, tem visto um declínio de seguidores em anos recentes.

3. República Tcheca

repúblcia tcheca

Um provavelmente surpreendente terceiro candidato a figurar entre os países menos religiosos do mundo é a República Tcheca com algo entre 30 e 39 por cento de ateus entre seus cidadãos.

O fraco apoio à igreja tradicional poderia ser o legado e um forte nacionalismo Tcheco através dos séculos 19 e 20.

O catolicismo era visto como uma importação austríaca e era desencorajado pelo Estado e o protestantismo nunca conseguiu realmente preencher o espaço deixado, de acordo com historiadores.

O passado comunista do país também suprimiu qualquer reavivamento religioso, indo de 1948 a 1989.

4. França

frança
A terra do romance se destaca de muitos de seus vizinhos europeus com pelo menos um quinto de seus cidadãos dizendo que são “ateus convictos”.

Semelhantemente à China, a França tem uma história de Estado buscando reduzir o poder das instituições religiosas dentro de suas fronteiras.

A Revolução Francesa em 1789 derrubou o catolicismo romano como a religião do Estado e uma lei foi aprovada em 1905 para formalmente separar a igreja do Estado.

No Reino Unido, em contraste, a chefe do Estado também é a chefe da igreja – a rainha.

5. Austrália

austrália
Entre 10 e 19 por cento dos Australianos dizem que são “ateus convictos”, talvez nada surpreendente para um país com uma forte tradição de governo secular.

Um enquadramento legal garantiu a igualdade religiosa dentro de algumas décadas depois que os colonialistas chegaram em 1788, eliminando o privilégio da Igreja da Inglaterra.

Muitos outros povos religiosos aproveitaram as oportunidades comerciais na Austrália, incluindo muçulmanos e judeus.

Hoje, porém, a maioria cristã está em contínuo declínio e mais cidadãos se identificam como não tendo um deus.

6. Islândia

islândia
O catolicismo foi proibido no país setentrional europeu em 1550, e a liberdade religiosa veio a ser um direito legal em 1874.

Apesar de muitos cidadãos da Islândia se considerarem luteranos, uma pequena proporção segue religiões populares, e o restante se considera como “ateus convictos”.

Isso perfaz somente 10 a 19 por cento da população, mas coloca a Islândia entre os países mais ateus do mundo.

E o Brasil?

brasil.jpg

Apesar do instituto Win/Gallup não ter pesquisado o Brasil, o censo de 2010, realizado pelo IBGE, encontrou 15 milhões de pessoas que se declaravam ateus ou sem religião. Os ateus seriam 615 mil dentro desse grupo, pois aí também estão os agnósticos e outros irreligiosos. O total da população era de 190,7 milhões.

Contudo, o ateísmo parece ter aumentado no Brasil. Aguardemos o próximo censo para confirmarmos ou descartarmos essa impressão.

*********

Fonte sobre a pesquisa do Win/Gallup: The Independent